Keanu Reeves News

Por: Denise

  • O filme Replicas ganhou data de estreia. O longa será lançado dia 15 de Junho de 2018 nos Estados Unidos. O filme não tem previsão de estreia para outros países. Confesso que já aguardo a estreia de Replicas na Netflix. Mas, claro, nada supera ver um bom sci-fi e com Keanu no cinema.

  • O filme Siberia entrou em pós-produção. A expectativa é que o longa também seja lançado em 2018. Esse filme não me disperta muito interesse, mas vamos aguardar que surpreenda.


  • Mas por onde anda Keanu Reeves? Ele segue lançando sua nova linha de motos em eventos e corridas. A nova linha da ARCH está com um design bem mais esportivo. A moto manteve o design robusto. E inicialmente foram lançados 3 modelos das cores preto com vermelho e prata com preto. As motos são produzidas de forma artesanal. E por encomenda.  Abaixo, fotos da nova linha de motos. Aproveite e me diga o que achou delas, através da enquete.

Anúncios
por keanubr

JW3 entra oficialmente em pré-produção

Por: Denise

O inicio das filmagens de JW3 estão cada vez mais próximas. O filme entrou oficialmente em pré-produção. As gravações estão previstas para o começo de 2018.

Não sabemos quase nada sobre esse terceiro filme. Juntando algumas informações que foram ditas por Chad Stahelski e Keanu Reeves… Podemos supor que a trama do terceiro filme contará a origem de John Wick. Além de mostrar a cupulá que comanda toda organização. Quanto as locações, segundo entrevistas dadas por Keanu Reeves,  o filme pode ser rodado em Jerusalém e Tokio. Mas são apenas suposições não existe nenhum confirmação.

E tudo indica que o elenco será anunciado no começo de 2018. Mas já sabemos que Lawrence Fishburne retorna.  Ansiosos? Calma, falta pouco.

O filme tem previsão de estreia para 17 de Maio de 2019.

por keanubr

Gravações de JW3 começam em 2018

Por: Denise

As gravações do terceiro filme de “John Wick” começarão somente em 2018. O início está previsto para o começo da primavera americana. Até o momento não foram divulgados elenco, enredo e local de filmagens.

Apesar do atraso nas filmagens a data de estreia do filme permanece para Maio de 2019. A expectativa é grande para JW3. Esperamos ansiosos pela divulgação do elenco, início de filmagem e fotos de bastidores.  

por keanubr

Keanu Reeves News

Por: Denise

  • Foi anunciado a data de lançamento do filme JW3. Anote aí: 17 de Maio de 2019. Isso que eu chamo “esperar” por algo. rs

  • Em entrevista recente Keanu Reeves mencionou a vontade de ter Tilda Swinton no elenco de JW3. Os dois fizeram uma ótima parceria em “Constantine”. Tilda Swinton interpretou [o idiota ¬¬] Gabriel no filme. Keanu disse que Tilda é extraordinária.

Gostei da ideia! Acho que Tilda seria uma vilã capaz de combater o John. Que nos causaria tensão e incerteza se ele conseguiria escapar. Tomara que vire realidade e ela entre para o elenco.


  • Keanu Reeves esteve na New York Comic Con e falou sobre JW3: “John Wick. John Wick estará em apuros! Então, estamos trabalhando nisso e acho que temos boas ideias. Sim, algumas idéias realmente boas. Mas John está com problemas. Espero que possamos começar a filmar no próximo ano. Chad e eu pensei que era difícil fazer um segundo. E agora já estamos fazendo um terceiro?!”, afirmou.

O que será que Keanu e Stahelski estão aprontando? rs


  • Também durante a New York Comic Con Keanu falou  sobre Bill e Ted. Keanu Reeves revelou que o terceiro filme da franquia Bill & Ted se chamará Bill & Ted Face the Music(via CBR). “Estamos tentando fazê-lo”, disse. “Show business é complicado. É um conto de advertência.” Segundo ele, o filme mostrará que a dupla supostamente teria salvo o mundo compondo uma música. Porém, na realidade, eles não o fizeram. Como já estão mais velhos e têm suas famílias para cuidades, os dois serão obrigados a encarar a música.

Eles ainda insistem em fazer esse filme?! SOCORRO!


  • Keanu ainda falou de Matrix. Quando questionado sobre esse filme, a audiência começou a vaiar, expressando descontentamento com a ideia de um remake/reboot. Keanu Reeves pareceu concordar com a plateia, e respondeu: “Fazer um remake de Matrix. Não sei. É talvez… Não sei nada sobre o assunto.”

Fontes: Omelete  Cinepop   IGN  

Para encerrar uma imagem de Keanu na NYCC.

 

por keanubr

SAIU!!! Trailer de Réplicas

Por: Denise

Finalmente o trailer de Réplicas saiu!!! O clima aterrorizante com mistura de drama, mostra o filme, mas não revela muito da história. O que é ótimo! Queremos ser surpreendidos. Keanu Reeves e Alice Eve parecem ter feito uma ótima parceria. O filme traz elementos que são utilizados em filmes de sci-fi. Como cenas com alta tecnologia e a criação de um robô. Mas a trama principal de criação de clones é a base do longa. Como esse cientista vai clonar sua família e fugir da polícia? Vamos ter que esperar para descobrir. O filme não tem previsão de estreia. Abaixo, confira o trailer:

Imagem capturada do trailer. Thanks CircleK_Fans

por keanubr

Crítica: The Bad Batch

Por: Denise

O filme “The Bad Batch” ou “Amores Canibais” estreou na Netflix. E vale a pena conferir uma crítica ( bem honesta e clara sobre o filme ) do site Beco Literário. Provavelmente você vai concordar com a crítica. Confira:

ATENÇÃO: Contém Spoiler

Em um futuro distópico/pós-apocalíptico, o governo dos EUA passou a catalogar indivíduos considerados “membros não funcionais” da sociedade, os denominando como Lotes Estragados (bad batch em inglês) e os banindo para o deserto do Texas, onde são obrigados a lutar para sobreviver. Arlen (Suki Waterhouse) é a indivíduo de número 5040 do Lote Estragado, e foi devidamente banida para o deserto, onde uma vez lá, é capturada por um grupo de canibais e desmembrada, perdendo uma parte do braço e da perna.

Arlen consegue fugir, e é salva por um Andarilho (Jim Carrey, irreconhecível!), que a leva para uma cidade chamada Confort (Conforto), onde outros Lotes Estragados se refugiam para se salvar dos grupos canibais. A garota se recupera, consegue uma prótese para sua perna, e começa a planejar sua vingança ao grupo de canibais. Arlen segue na sua empreitada de vingança, até que inesperadamente se apaixona por Miami Man (Jason Momoa), um dos canibais do grupo que a mutilou.

O novo filme de Ana Lily Amirpour tem uma premissa interessante, que logo me chamou a atenção pela mistura de gêneros e de já gostar do trabalho anterior da cineasta. No entanto, The Bad Batch, apesar de ter várias qualidades técnicas — principalmente na direção de Amirpour, que possui uma estética visual maravilhosa (e a diretora sabe aproveitar isso como ninguém, mesmo a história se passando em paisagens áridas) e boas sequências e ritmo (principalmente nos 20 primeiros minutos) — é no roteiro, que Amirpour erra a mão, e se perde, não aproveitando e nem desenvolvendo todos os seus personagens e o seu enredo de maneira satisfatória.

O filme começa com guardas despachando Arlen para o deserto do Texas. Ela é o indivíduo de número 5040 do Lote Estragado e está banida da sociedade americana pelo governo dos EUA. Em nenhum momento do filme fica claro do porquê Arlen foi banida, já que até então ela parece ser uma garota branca padrão. São considerados parte do Lote Estragado todos aqueles que não se “encaixam” na sociedade de alguma forma, ou seja: negros, imigrantes, deficientes, criminosos, drogados, e até mesmo aqueles que não se encaixam de alguma forma no padrão de beleza. Não sabemos se Arlen era uma usuária de drogas ou se cometeu algum crime, e em nenhum momento do filme ela conta a sua história. As únicas informações que temos durante o filme é que Arlen namorava um músico e tem algumas tatuagens.

Mal Arlen começa a explorar a sua nova forma de vida, ela é capturada por um grupo de canibais. Como foram banidos para um deserto, onde é difícil arranjar água ou comida, alguns dos banidos tiveram que fazer de tudo para sobreviver,  resolveram, então, que a única opção seria comer carne humana, e começaram a se organizar em grupos e a caçar recém-chegados ou os considerados mais fracos e descartáveis. Em uma cena violenta e de forte impacto emocional, que remete à um estupro, Arlen tem sua perna e braço direitos mutilados e comidos por um casal canibal.

Ela consegue escapar, e é encontrada no meio do deserto por um Andarilho que a salva e a leva para Confort, uma cidade de Lotes Estragados, que se refugiaram para escapar dos grupos canibais e é controlada por um traficante/ditador que é denominado como The Dream (Keanu Reeves), “O Sonho”; que organiza raves regadas a drogas e mantém várias concubinas grávidas, vivendo em um luxo no meio à pobreza e miséria do resto da cidade. Arlen se recupera, e depois de cinco meses começa a planejar e sua vingança contra o grupo canibal que a mutilou. Aqui a diretora faz uma clara referência ao subgênero do horror, rape and revenge, usando o canibalismo e o trauma da mutilação no lugar do estupro. Vemos que a intenção de Amirpour é não fazer de seu enredo apenas mais uma história de vingança, e sim mostrar a personagem lidando com o seu trauma em uma jornada de amadurecimento. Porém, ao longo do filme o desenvolvimento da personagem é comprometido pelo roteiro bagunçado de Amirpour, fazendo Arlen tomar atitudes incoerentes e confusas. 

Ela se vinga, matando uma canibal chamada Maria (Yolonda Ross), mulher de Miami Man, e “sequestra” a sua filha (Jayda Fink), levando-a para Confort. Em nenhum momento fica claro o que Arlen pretendia após levar a filha dos canibais para a cidade; mantê-la consigo ou matá-la? Nada fica claro, assim como as atitudes em geral da protagonista. 

Até mesmo o relacionamento de Arlen e Miami Man é mal desenvolvido. Miami Man encontra Arlen por acaso no deserto, enquanto ela está sob uma “viagem” após ter tomado drogas na rave de The Dream.  Ele a ameaça dizendo que vai matá-la caso não encontre a sua filha. Após Arlen ser quase sequestrada por um outro canibal, Miami Man à salva e eles tem uma conversa na fogueira, onde Arlen pega uma faca e o ameaça matá-lo. Mas não o faz, pois aparentemente ela já estava nutrindo sentimentos por Miami Man. O momento entre os dois é interrompido quando Arlen é “salva” por soldados de The Dream e levada de volta para Confort. Na cidade, ela descobre que a menina foi pega por The Dream e está estabelecida em seus domínios. Arlen consegue entrar, faz uma das concubinas grávidas de refém, e salva a menina, levando-a até seu pai e decidindo ficar com eles.  

Apesar de Suki Waterhouse e Jason Momoa terem uma boa química juntos, o casal não tem momentos em cena juntos o suficiente que justifique as atitudes posteriores de Arlen: salvar a filha de Miami Man e escolher ficar com ele no deserto. Nem mesmo as dele, já que ele escolhe poupar a vida de Arlen, não a matando para se alimentar.

São tantas irregularidades, que os personagens se tornam vazios. Em alguns momentos o roteiro faz Arlen se sentir deslocada em Confort, não deixando claro o porquê. Apesar de não serem as melhores condições, Confort é um lugar mais seguro que o deserto. Claro que a cidade é regida por um ditador, mas em nenhum momento o roteiro mostra que The Dream é uma ameaça para Arlen, ou que ela não concorda com a sua política de mantê-los todos miseráveis e drogados. Ela simplesmente não quer ficar em Confort e sim com Miami Man no deserto. Ao terminar o filme me senti vazia, pois não consegui me conectar com nenhum personagem. E mesmo a cena final, em que Miami Man, sua filha e Arlen comem o coelho de estimação da menina, em vez de Miami Man matar Arlen, enquanto ocorre  crepúsculo no deserto; uma cena que era para ser emocional, ao mesmo tempo triste e esperançosa, eu não consegui sentir absolutamente nada. Só fiquei apreciando a escolha da trilha sonora, e mais nada. 

Os outros personagens e atores são completamente desperdiçados. The Dream seria um ótimo antagonista, e Keanu Reeves está bem confortável no papel, mas em nenhum momento o personagem se torna um antagonista de fato. Não há ameaça por parte dele, mesmo que saibamos que ele tem armamentos e soldados. E na sequência final, Arlen facilmente escapa dos domínios de The Dream, fazendo uma de suas concubinas de refém, sem ter problema algum. Não há um sentimento de urgência, de perigo. Outro ator desperdiçado é Diego Luna que faz Jimmy, o DJ das raves de The Dream que entra mudo e sai calado, um mero figurante de luxo. Jim Carrey está irreconhecível como o Andarilho, e apesar de uma forte presença e de seu personagem ter um papel pontual no enredo, o seu papel poderia ter sido facilmente exercido por outros personagens.

Mas nem tudo é ruim no roteiro de Amirpour. A diretora utilizou bem as analogias com a situação política e econômica dos EUA. Começando pelo nome da cidade, Confort (Conforto), onde os habitantes são bombardeados com expressões como “Find Confort” (Ache o Conforto) e “I Want The Dream” (Eu quero o Sonho), remetendo as frustrações da sociedade americana e dos millennials como um todo, onde o tempo inteiro nos é posto expectativas de ter uma vida confortável e de perseguir a qualquer preço uma vida estável, mas nunca conseguir. Vivendo perdido e frustrado, sofrendo cobranças de todos os lados, afinal se você não conseguiu é porque não se “esforçou o suficiente”. A própria concepção dos Lotes Estragados é uma crítica a visão racista e xenofóbica do governo Trump e semelhantes, onde todos aqueles que são de alguma forma diferentes, devem ser postos de fora e não “merecem” viver em sociedade. Principalmente na questão dos imigrantes é que a crítica fica mais clara: Miami Man é um imigrante ilegal cubano, e a maioria dos considerados Lotes Estragados são imigrantes. 

Os diálogos também não são o forte do filme, na verdade são quase inexistentes, porém na sequência da viagem por LSD de Arlen, além de ser visualmente bonita, há uma frase que a personagem diz, que resume bem o mote do filme e da nossa sociedade como um todo:

Aqui estamos, no canto mais escuro da Terra, e estamos com medo da nossa própria espécie.

Foi o medo que fez o governo dos EUA banir pessoas que eles consideravam “perigosas” para a sociedade.  Foi o medo de morrer, que transformou pessoas em canibais. E é com o medo dos refugiados que The Dream mantém o seu império em meio ao caos. E foi o medo e o trauma que impulsionou Arlen a se vingar. O Homem é o Lobo do Homem, como bem disse Thomas Hobbes e é reiterado por Amirpour.

A parte técnica como um todo é ótima, desde a direção — com sequências belíssimas (a viagem de LSD de Arlen e a cena final são de um show visual de qualidade) e cenas de violência que se utilizam do gore, não de uma forma gratuita, mas que dão a agonia necessária (a sequência inicial da captura e mutilação de Arlen, é o grande destaque) — até a trilha sonora, muito bem utilizada por Amirpour durante toda trama. Destaque para a cena final em que toca Fifty On Our Foreheads da banda White Lies

The Bad Batch/Amores Canibais tinha tudo para ser um ótimo filme, dada a qualidade já demonstrada de Ana Lily Amirpour, porém infelizmente a cineasta não soube aproveitar a totalidade de seu enredo,  nos entregando um filme com primorosa parte técnica e boas alegorias, mas nenhum desenvolvimento de personagens e  aproveitamento mal bons atores; tornando-o um filme vazio, o que é uma pena.

   Para ler a crítica completa, clique AQUI.

Ei, você! Assistiu The Bad Batch/Amores Canibais na Netflix ?  Então, responda a enquete abaixo:

por keanubr

“Versões de um Crime” estreou na Netflix

Por: Denise

A Netflix segue sendo maravilhosa com os fãs de Keanu. O filme “Versões de um Crime” estreou na Netflix do Brasil. Se você é de outro país, verifique o seu catálago. O filme pode ter estreado também na Netflix do seu país. No longa Keanu Reeves é um advogado que tenta provar a inocência de um jovem acusado de matar seu pai. Todos dizem uma mentira e ele tentará descobrir a verdade. Ficou curioso(a) para ver? Então, corre para a Netflix. 

por keanubr

Notícias sobre Replicas

Por: Denise

  • Replicas fechou negócio no Festival de Toronto com o estúdio de entretenimento de Byron Allen, por US $ 4 milhões pelos direitos norte-americanos do filme. Com isso os americanos já podem comemorar. O filme em breve deve estrear nos EUA. Agora é aguardar a compra e distribução do filme para os outros países.

  • Replicas terá a exibição de clipes na Comic Con de NY. O evento acontece em Outubro. Acha coração!!!


  • Keanu Reeves confirmou presença em um painel da Comic Con de NY. Os ingressos já começaram a ser vendidos online no site da Comic Con. 

VEM REPLICAS !!!

por keanubr

O Keanu_Br tem um grupo no Facebook. Saiba como participar

Por: Denise

O blog Keanu_Br agora tem um grupo no Facebook. Notícias sobre Keanu são postadas primeiro no grupo e depois aqui no blog. Quem faz parte do grupo vê tudo primeiro. E se tivesse que definir o grupo em uma palavra, diria: Engraçado! haha. É um grupo muito divertido e engraçado. Quer fazer parte? Só clicar AQUI 

 

por keanubr

Primeira imagem de “Replicas” + Fotos de Keanu Reeves com Fãs

Por: Denise

O site Variety divulgou a primeira foto de “Replicas”. Vemos Keanu com algo que podemos chamar de capacete, no laboratório. Bem no estilo filme de Ficção Científica. E isso já faz meu coraçãozinho bater acelerado para sentar na cadeira de cinema e ver esse longa. E a expressão dele? Diz muito. Será essa a cena que ele consegue clonar sua família? Keanu vai participar da Comic Con de New York que acontece em Outubro. Para divulgar o filme “Replicas”. 

Agora que já falamos do filme, vamos falar dele. O menino apareceu ao lado de fãs no aeroporto ( indo para onde ninguém sabe ) e do jeito que ele gosta. Barbudão e cabeludo. E um pouco mais encorpado também. Recentemente vimos Keanu bem magro. Em razão das filmagens do longa com a Winona. Agora o Homem tá como gosta. Quando Keanu não grava nenhum filme ele gosta de ficar relaxado com o visual. E se o tamanho da barba te assustou… Amor, você não viu NADA. Esse homem é capaz de deixar essa barba muito maior. Uma coisa que Keanu não liga é para opinião alheia. Principalmente quanto ao seu visual. Como não amar esse menino? Foge da perfeição. Gosta de coisas terra a terra. E tem os pés no chão. Abaixo, você mata a saudade desse Homem.  ♡

Fontes: @ThanzeemKR , https://www.instagram.com/p/BYuG6SFASGO/ 

por keanubr